Preciso falar outra língua para viajar o mundo?

Essa é a pergunta que se passa na cabeça de muitas pessoas quando pensam em viajar para o exterior. Muitos acabam até desistindo de sair do Brasil, pois tem medo de não conseguir se expressar. Agora se é necessário falar vou explicar aqui.

Nãoooooooooooo, não é necessário falar inglês, nem francês, nem espanhol, nem nada. Claro que se você domina outra língua é algo muito mais fácil (principalmente o inglês), mas você não pode deixar que isso te impeça de desbravar o mundo. Eu sempre digo que a língua universal é a mímica e se você for bom em expressão corporal, fique tranquilo, pois você vai longe. E lembrem-se o que seria de uma viagem se não tivesse “bafões e perrengues” sofridos para contar depois, isso torna a viagem mais divertida e é uma aula, um aprendizado gigantesco para cada um de nós. Então já saibam que a maior dica é se desprenda e deixe a timidez de lado na hora de se expressar e você verá que as pessoas também farão mímicas na hora de te responder.

Vou apresentar algumas dicas para você que está pensando em viajar para fora e só fala o português evitar algumas situações que seriam ditas como complicadas:

 

1) Pesquisar, planejar e organizar

Sei que muitos gostam do espírito livre e levam o lema “deixa a vida me levar”, sim é possível fazer uma viagem assim sem dominar outra língua. Mas minha recomendação é planejar sua viagem, já saber os lugares onde vai, os hotéis em que vai ficar, listar pontos turísticos ou lugares que gostaria de ir, definir o que quer realmente fazer. Porque é complicado você não saber falar, chegar lá e ter que ir achar um hotel sem nem saber falar se quer um quarto simples ou com café da manhã. Então planejem e organizem a viagem antes mesmo de embarcar.

Se você for passar por mais de uma cidade, já olhe suas passagens antes ou procure saber como faz para comprar, para assim facilitar. Faça o seguro viagem aqui no Brasil e leve os dados de telefone caso necessite da assistência médica. Outra dica é pesquise como funciona os transportes públicos pelo destino, se há algumas normas específicas daquela cidade ou país. Ex.: No México não pode beber nenhuma bebida alcoólica na rua, então imagina sair e levar uma multa.

 

2) Impressão e anotação principal

Imprima todos os documentos da sua viagem, todas as passagens, ingressos, documentos de reserva de hotéis, seguro viagem e etc. Estar com isso impresso facilita você para encontrar o que precisa. Mas você não precisa carregar todos os documentos para cima e para baixo, somente aqueles que irá utilizar no dia. Agora tem uma unica anotação que eu falo que é a principal e primordial, essa você deverá ter contigo em todos os momentos da viagem, você precisará levar para cima e para baixo, e nunca perdê-la: nome, endereço e telefone do hotel.

 

3) Aumente o seu tempo

Como assim aumentar o meu tempo? Se você acha que vai ficar dentro de um local por 1h, coloque que irá ficar 1h30m. Se você acha que o tempo para ir de um lugar a outro é 15m de caminhada, coloque pelo menos 30m e assim vai. Porque é normal se perder no caminho, é normal você demorar para entender alguma informação dentro do lugar onde está. Portanto deixe uma margem para erros, deixe uma margem para você ter o tempo em que realmente precisa e não se desesperar porque não está dentro do tempo em que delimitou primeiramente.

 

4) Mapas, guias e internetAtualmente são poucas pessoas que levam os guias de bolso, devido a internet ser de fácil acesso. O importante é ter com você algumas das opções. Eu quando chego em uma cidade com metrô já pego um mapinha e fica comigo o tempo todo. Isso também faço com mapa da cidade, mas confesso que paro de usar ele e uso o Google Maps. Sobre a internet, adquira o chip aqui mesmo no Brasil ou procure onde comprar quando chegar ao seu destino (eu sempre faço isso). Porque se houver qualquer dúvida em algum momento da viagem, você saberá se virar com mais facilidade. Ah e com internet vale ressaltar que você terá um tradutor para utilizar se a situação apertar.

 

5) Agências de turismo e pontos de informaçõesPrimeiramente saiba que eles já estão acostumados a passar pessoas que não falam sua língua por ali, então eles tem uma paciência gigantesca. Eles vão tentar te ajudar e explicar da melhor forma possível. Se está fazendo por conta sua viagem devido o preço sair mais em conta, não exite em ir em um ponto de informação e tentar tirar dúvidas. Agora se você está fazendo a viagem com um pouco mais de comodismo, deixo a dica de fechar seus passeios com agências de turismo local. Se você não adquirir seus pacotes ainda no Brasil, tenha certeza que na recepção do seu hotel eles terão várias para te indicar. Dependendo do destino é só dar uma volta pelas ruas que também irão avistar várias que fazem passeios pela região. Hoje em dia quase todos os destinos do mundo há agências especializados em brasileiros ou na língua portuguesa, então procure antes de ir algumas delas. Talvez facilite um pouco e você também poderá aprender mais sobre a história do local, caso eles tenham guias que explicam sobre a cidade em português.

 

6) Escolha seu primeiro destino de acordo o seu receio

Fernanda, eu não entendi o que você quis dizer com isso. É complicado eu falar vai para lugares mais fáceis primeiro, então eu te pergunto em uma escala de 0 a 10 qual o nível do seu medo de viajar para fora? Caso você fala que tem MUITO receio, aí digo busque lugares que a língua se assemelha com a nossa. Lugares com línguas derivadas do latim, como o espanhol. Esse idioma se ambos falar pausadamente, se conseguem entender com mais facilidade. Na verdade nós acabamos usando o nosso querido “portunhol”.  Agora se você disser que seu receio está acima de 6, se joga! Vai para qualquer lugar e sei que irá se virar. Você pode ir para Rússia que tudo vai dar certo, sem ao menos falar inglês e muito menos russo.

 

7) Todos erram, isso não é problema!

Isso mesmo, não ache que ninguém passa mico durante as viagens. Todo mundo passa e não são poucos não. Será normal você se perder, será normal você pedir um prato no restaurante em que acha que será carne e chegar abobrinha (isso é um exemplo), será normal você pegar o metrô errado, será normal você perder de visitar parte de algum ponto turístico pois não sabia se aquele estava incluso no seu ingresso, será normal você entrar em um local não permitido e alguém vir falar que não podia, será normal comprar uma coisa achando que era outra, será normal errar. Eu sei que ninguém gosta de errar, mas isso acontece e muito!

Para vocês verem como acontecem vou contar para vocês um relato que aconteceu na minha segunda viagem para os Estados Unidos e não podem rir, ok? Prometem?

Fui com a minha família para os EUA e ninguém falava nada de inglês. Aí estávamos em um hotel em Miami e somos uma família “munheca e mão de vaca” que não pegam as coisas do frigobar por ser caro demais e compram no mercado as guloseimas que quer. Aí fomos no mercado e compramos: refrigerantes, águas, cervejas, iogurtes, várias coisas. Chegamos no quarto do hotel e tiramos tudo do hotel de dentro da geladeirinha. Colocamos as nossas coisas, consumimos as nossas coisas. Nisso compramos mais coisas e colocamos novamente lá e tiramos para consumi-las. Antes de ir embora colocamos os itens que era do hotel dentro do frigobar e fim. Não consumimos nada do frigobar e estávamos nos achando os espertos porque “nossa gastamos pouco no mercado”. Doce ilusão. No momento do check out, eles me passaram a nossa conta e eu achava que iria ver zerada, porque não havíamos consumido nada. Quando olho para o valor e me deparo com quase U$ 800,00. Isso mesmo, oitocentos dólares. Nessa hora eu olhei para cara dos meus pais e do meu irmão com aquela expressão de ponto de interrogação. Por fim, tentei explicar de todas as maneiras que não havia consumido nada e a mulher com toda paciência me explicou o funcionamento do frigobar. Dentro do frigobar haviam várias travas, quando eu retirava algo, computava. Ou seja, eu tirei as do hotel (paguei uma vez), eu coloquei as minhas (paguei a segunda vez), retirei as minhas (paguei a terceira vez), coloquei mais coisas minhas (paguei a quarta vez), retirei as minhas (paguei a quinta vez) e para finalizar coloquei as do hotel (paguei a sexta vez). Não sei se conseguiram entender, mas cada vez que tirávamos e colocávamos algo computava algo referente ao valor do item do local. Ou seja, nesse momento quase chorei e pior isso estava escrito do lado do frigobar e eu não tinha visto (mesmo que eu tivesse, não ia entender nada). Resumo, a moça entendeu a minha ignorância, mas mesmo assim tive que pagar duas vezes pelos itens. Ou seja, todo mundo erra. Ás vezes alguns erros custam tempo, outros dinheiro, outros apenas stress, mas todos erram e com cada erro um aprendizado. Obs: Nunca mais eu tirei nada de dentro de um frigobar de hotel. hahahahahah

 

8) Aprenda algumas palavras e frases chaves

Para lhe ajudar na viagem é interessante aprender algumas palavras e frases chaves. Essas são aquelas que você mais irá utilizar em seus dias fora. Palavras como: água, sim, não, aeroporto, embarque, desembarque, ônibus, preço, números, obrigado, desculpa, licença, por favor, etc. E frases como: Quanto custa?, Onde é o banheiro?, eu quero, eu não quero, preciso de ajuda, bom dia, boa tarde, boa noite, eu não falo inglês (ou a língua do país que estiver), entre outras.

 

9) Imigração

Saiba que ao passar pela imigração, os oficiais irão te fazer perguntas. Alguns mais outros menos perguntas. A minha dica é apresentar para eles aqueles documentos em que te falei lá no começo que era para levar impresso. Dê tudo para eles e até mesmo leva uma cartinha na língua dele (pegue ajuda do tradutor para escrevê-la). Nessa escreva de forma TOTALMENTE EDUCADA, algo como “Bom dia, me desculpa por não falar turco. Trouxe essa carta para dizer que estou em uma viagem de lazer pelo seu país por “tantos” dias (se tiver outros destinos coloque também). Estou te apresentando meu hotel aqui em sua cidade e os demais que estão em meu roteiro. Se precisar também te apresento minha passagem de retorno para o Brasil. Obrigado e novamente desculpe.” Aí entrega a carta e tudo mais pra ele. É uma super solução e ajuda muito. Se conseguir decorar o texto na língua, melhor ainda.

Escrevi esse post com o intuito de mostrar à vocês que viajar é possível para todos. Independente da língua em que se fala. O importante é perder o medo e ir a primeira vez. Te garanto que após ir a primeira vez, você dará muitas risadas e se perguntará porque não fez isso antes. Não deixe de viver seus sonhos e ir conhecer o mundo, por pequenos detalhes. Tenha coragem e vá! Ah, e é claro não se esqueça de me contar como foi depois.

 

 

 

 

Comments

comments

Deixe um comentário